segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Os Top 5 do Encontro de Vinhos... Lista oficial e a minha escolha

No andar superior ao do salão onde acontecia o Encontro de Vinhos, uma banca com cerca de 20 julgadores (jornalistas, profissionais do vinho e, claro, muitos bloggers) avaliou às cegas 24 amostras fornecidas pelos expositores. O objetivo: elaborar a lista dos TOP 5 e, por consequência, identificar o "melhor" vinho do evento.

Entre as amostras, vinhos de R$ 40,00 a mais de R$ 400,00. Nacionais, importados e outros ainda sem importação. Novo e Velho Mundo. Jovens e não tão jovens. Tintos e UM espumante.

Na lista oficial, um placar apertado apresentou em primeiro lugar o VEGA SAUCO PIEDRAS Crianza 2005, Espanhol, de Toro, importado pela Ravin e comercializado por R$ 49,00. Boa compra, não? A lista segue, com uma folga de apenas, 0,05 pontos para o segundo colocado:

2o. – PK Zinfandel 2005 – Pezzy King - Wine Lovers

3o. – Simonsig Tiara 2005 – Simonsig - Pacific
4o. – Bem Bi Bre 2004 – Dominio de Tares - D´Olivino
5o. – Vero 2007 - Tempus Alba - Tempus Alba (sem importador no Brasil)

Na minha lista, algumas mudanças, mas igualmente uma disputa apertada:

1o. – Cuvée Tuffeaux 2007 2007 - Bourgueil, Domaine Damien Lorieux - Cave Jado

2o. – Naiara Malbec 2006 - Naiara Wines - SP Gourmet
3o.– Simonsig Tiara 2005 – Simonsig - Pacific
4o. – PK Zinfandel 2005 – Pezzy King - Wine Lovers
5o. – Trapiche Manos 2004 - Trapiche - Interfood

Entre a 6a. e 10a. posição de minha lista, estão o Vega Sauco e Bem Bi Bre, além de um espumante nacional e um alemão a base de Lemberger, sobre o qual falaremos mais.

4 comentários:

Alexandre disse...

Fiquei louco para provar esse Vega Sauco.

Ah, li um post antigo seu sobre o Tantehue, vinho de entrada da Ventisquero. Você comentou que gostou mais dele do que da linha reserva.

Engraçado que o mesmo ocorre comigo. Acho a linha ventisquero clássico muito mais agradável. O reserva é exageradamente bombado.

Um abraço!

Alexandre Takei

Marcus disse...

Opa Alexandre,

Se tiver a oportunidade, faça-o. Após a degustação às cegas, provei novamente o Vega Sauco no estande da Ravin e entendi porque ele foi escolhido. É um belo tempranillo, sem arestas, bom corpo, elegante, cativante no nariz. Deles também, vale provar o Santa Julia Tempranillo, mesma faixa de preço e outro bom tempranillo.

Sobre os chilenos, minha opinião é que, na maioria dos casos, os vinhos das linhas médias são todos muito padronizados, cheios de madeira e não agregam muito. Daí o fato de eu me surpreender com os vinhos de entrada. Nas linhas mais altas, normalmente as vinícolas deixam a fruta falar mais alto e aí se diferenciam.

Abs.,
Marcus

La cave Jado - Vinhos Franceses bons e barratos disse...

Oi Marcus! Que bom que você gostou de nosso Cuvée Tuffeaux!
A página do Vinho da Cave Jado está aqui: Cuvée Tuffeaux

Muito obrigado.
Abs
La cave Jado

Anônimo disse...

Sempre que navego pelos blogs onde o assunto é vinho concluo que é um fato que grande parte dos comentários sobre vinhos e seus rótulos é muito mais vinculado a questões comerciais e a sua distribuição pelo mercado que o vinho e sau alma e sua questão humana e cultural. O estudo um pouco mais amplo nos leva mais além na apreciação do vinho e a diferenciar aqueles que tem alma dos que são simplesmente considerados produtos.Trabalhamos muito e com satisfação, buscamos espaço para vinhos e produtos elaborados com paixão, independente da nacionalidade.
Fronteiras geo-climaticas e não politicas fazem a diferença.
Em cada localização procurar o melhor possível de forma contínua é um caminho seguro.
Nosso trabalho é voltado a concepção de que vinho e a gastonomia não devam ser tratados meramente como produto industrial mas sim como produto cultural, oriundo da maneira de agir e pensar de cada povo em um determinado contexto geográfico.
Saudações
Armazem Conceição & Cantina da Freguesia

Alguns outros posts interessantes...